domingo, 17 de novembro de 2013

1286 - Soneto revelado

Ah, vá!

Quanto a contar segredos ou tê-los,
Tenho alguns e não serão contados
Aqui. Também... Vai os querer revelados?
Quem? Segredos que são singelos,

Minhas bobeiras sem quaisquer elos
Não merecem o Ego. Quais dados
Eles revelariam, quem, preocupados,
Figurões arrancariam seus cabelos?

Ficam comigo os segredos, tranquilo!
Segredos em meus sonetos não trilo,
Leiam despreocupados e cabeça fria,

Conto aqui que adoro mulher negra
E que gordinhas fazem-me a regra,
Mas isso qualquer um já bem sabia.

Francisco Libânio,
13/11/13, 8:01 PM
Postar um comentário