quarta-feira, 27 de novembro de 2013

1306 - Soneto aos inoportunos

Ser inoportuno é uma arte que vem de berço

Não que vocês sejam, digamos, chatos...
Mas lhes falta, eu diria, um certo senso,
Uma noção de oportunidade e, extenso
Também, rigorosos cuidados nos atos

Sociais onde os se pedem uns recatos,
Certas discrições e um grande, imenso
Pendor a ficar calado ou tudo é tenso.
E os ares à confusão tornam imediatos.

E assim, meus bons baldos de noção,
Que fique nesse sonetinho essa lição.
Tudo na vida tem seu momento e hora.

Mesmo para a gracinha, a piada infeliz,
Pois quem não sabe o que faz ou diz,
O melhor que se faz, então é ir embora.

Francisco Libânio,
19/11/13, 12:27 PM
Postar um comentário