sexta-feira, 29 de novembro de 2013

1308 - Soneto aos brancos deslocados

Enfia seu poder sabe bem onde!

Vocês, que ainda creem na diferença
Entre as cores, inferiores, superiores,
Vocês, que nunca sentiram as dores
Do preconceito e nem a desavença

Na banda que não sofre a sentença,
Vocês, que acham que raças e cores
São questões superadas e menores
E se indigna com tanta recompensa

Que os negros recebem injustamente,
Afinal é coisa de quem se ressente,
E a escravidão acabou e se esqueça.

Você tome tento, acabou vida vassala.
Acabou casa-grande, acabou senzala,
Você que não evoluiu, que desapareça.

Francisco Libânio,
20/11/13, 8:18 AM
Postar um comentário