quarta-feira, 23 de abril de 2014

1624 - Soneto da família tradicional

E ninguém fica sabendo o que tem por baixo dessa fleuma.

O pai, mantenedor e grande senhor
Da casa e sua mulher, boa esposa,
Os filhos, a educação já os entrosa
Dentro do formão da tradição, valor,

Conceitos que tem o branco de cor
E o preto a completar. A charmosa
Célula, aos moldes da tão cuidadosa
Criação, vê com desbragado horror

Como o mundo ficou tão degradado
Homem com homem fica lá casado,
Mulher com mulher ganha a simpatia

Enquanto eles, um modelo de família,
Guardam a boa e esperançosa vigília
Por alguém pra ensinar boa hipocrisia.

Francisco Libânio,
15/04/14, 5:44 PM
Postar um comentário