segunda-feira, 21 de abril de 2014

1619 - Soneto do campeão improvável

Ganhou com propriedade.

No esporte, na política, em tudo
Tem o peixinho e tem o tubarão.
Esse, se passa o outro, obrigação
Faz e mais se só num cascudo

Derruba esse pequeno abelhudo
A medir forças, mas se a situação
Inverte e o pequeno, no safanão,
Atropela o grande, põe-se mudo

O mundo, surpresa total, irrestrita!
Às vezes o impensável vem e apita
A morte do gigante, cai um Golias.

E nem é um Davi, mas um menor
Ainda. E o futebol deu esse odor
Com algumas interioranas alegrias.

Francisco Libânio,
14/04/14, 9:00 AM
Postar um comentário