quarta-feira, 2 de abril de 2014

1581 - Soneto do ornitorrinco

Deus devia estar de zoeira...

O ornitorrinco estava irredutível,
Não dava clemência ou perdão
Pela sacanagem em sua criação.
Não bastava ser algo indizível,

Estranho, uma mistura terrível,
Um bicho pior que imperfeição.
Tinha ainda o nome sem noção,
Pensou: Se o Criador é infalível,

Me criou foi de caso pensado,
Antevendo que eu seria zoado
Por isso a deformidade me deu.

Revoltado ornitorrinco, e estava
Certo ao ser. Mandou a fá à fava
E se tornou o primeiro bicho ateu.

Francisco Libânio,
31/03/14, 12:06 PM
Postar um comentário