sábado, 12 de abril de 2014

1601 - Soneto da arca

Penso a orgia que deve ter sido lá dentro...

Escrevi sonetos de animais,
Visitei e repisei o bestiário
E achei um que o imaginário
Diria ser invenção demais,

Por serem quase surreais
De estranhos. O comentário,
O soneto, quis o anedotário,
Uma piada para esses tais

Mais estranhos bichos. Aí,
Pensei na arca. Como ali
Ficaram em paz os pares?

Quarenta dias abarcados,
E sexo por todos os lados
E dali as cruzas peculiares.

Francisco Libânio,
08/04/14, 9:07 AM
Postar um comentário