sábado, 5 de abril de 2014

1587 - Soneto do lhama

Nem vem de abuso.

Bicho mais ignorante era o lhama,
Simpático, até, como boa praça,
Não fazia mal nem era de trapaça,
Era de boa, nem de fazer drama,

Também não era grande a gama
De inimigos. Não era uma ameaça.
Bem, não era fofo ou tinha graça.
Ficava na dele pastando sua grama,

Mas se ele perdesse a estribeira,
E paciência nunca foi sua primeira
Virtude quem fez isso já se depara

Com uma atitude nada elegante,
O lhama responde todo desplante
Com uma bela cusparada na cara.

Francisco Libânio,
02/04/14, 7:31 PM
Postar um comentário