sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

1520 - Soneto do aie-aie

Não é o que você está pensando, peraí!

Bicho estranho era o macaquinho
De Madagascar, Austrália africana,
De fauna exuberante, tanto insana,
Mas esse era estragado, tadinho!

Eis o aie-aie, tão feio, pequenininho,
Na ilha tinha fama diabólica e tirana
E mais: tinha um dedo meio sacana,
Maior que os outros. Esse dedinho

Sendo o médio e, assim avantajado,
Mais soava por desaforo. O coitado
Era xingado e chamado pra porrada.

Caçar larvas? Inventa outra história!
Não bastasse a aparência vexatória,
O agouro, o aie-aie tinha tal maçada.

Francisco Libânio,
26/02/14, 2:00 PM
Postar um comentário