quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

1515 - Soneto do gorila

Eu sou um cara legal.

O gorila andava muito, muito puto.
Graças ao King Kong, a sua fama
Era a de um gigante que derrama
Violência gratuita sendo um bruto,

O valentão que não guardava luto
Quando matava tocando o drama
Na civilização e raptando a dama
E escalando feroz como resoluto

O Empire State derrubando avião
Que nem mosca. E era um bobão
Na vida real e nem era tão gigante.

Tinha bom coração e era recatado,
Mas já que o mal o fez tão afamado
Usava-o no bando por comandante.

Francisco Libânio,
21/02/14, 8:57 AM
Postar um comentário