domingo, 9 de fevereiro de 2014

1478 - Soneto com qualquer coisa

Nem vem!

O dia amanheceu quente, um calor
Horrível, insuportável, coisa doída!
Qualquer coisa a fazer será renhida,
O sol não deixa a nenhum dispor.

Escrever, a gente escreve com suor,
E é literal. Espera-se uma arrefecida
Na quentura, mas cada gota caída
De suado e cada baforada fica pior.

Querer um tema ao soneto é exigir
Demais. Não basta o clima a frigir?
Seja ele o tema e não se fala mais!

Até porque chamego, colo, abraço
Nesse calor é mais trocar mormaço
E eles seriam, assim, muito brutais.

Francisco Libânio,
06/02/14, 12:08 PM
Postar um comentário