quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

1516 - Soneto do babuíno

Beijo no ombro pra vocês.

Entre os bichos feios, o babuíno
Pleiteava o prêmio. Bunda pelada
E cara peluda sem combinar nada,
Ele se julgava ser o feio genuíno,

O feio com qualidade, cristalino,
Mas na floresta era bem acirrada
A disputa. Merecia ser empatada.
Mas o macacão se julgava o fino

De feiura. Disputa mesmo, embate
Nunca houve. Seria um disparate
Dar ao mais feio a feia deferência.

O babuíno outorgou, assim sendo,
Seu o louro. Agraciava ser horrendo
E zombava a geral pela desistência.

Francisco Libânio,
21/02/14, 12:09 PM
Postar um comentário