sábado, 15 de fevereiro de 2014

1491 - Soneto com silêncio

Daqui sai um soneto, hein?

Fecho-me em copas e aquieto
Meu coração para que eu redija
Mais um soneto. O barulho alija
Minha paz, por isso este veto.

Mas o silêncio nada traz. Soneto,
Rima, ideia. Está vazia a botija
De onde sai o que me regozija
Em sonetos. Um silêncio repleto

De gritos inaudíveis. Que bosta!
Achei que o silêncio fosse aposta
De júbilo, meditação inspiradora.

É nada! Desisto dessa quietude!
Meto um rock mudando a atitude,
Toro tudo e o soneto sai na hora!

Francisco Libânio,
11/02/14, 6:15 PM
Postar um comentário