sábado, 23 de fevereiro de 2013

766 - Soneto que ama uma mulher naqueles dias

Calma que já passa!

Todo santo mês é assim, não tem jeito!
Ela, doce e amorosa, fica tão intratável,
Tão nojenta e chata que a moça amável
Faz quase que eu lhe perca todo respeito.

Eu sei, é ciclo feminino, algo imperfeito
Durante essa renovação a deixar instável
Todo o sistema dela. Qualquer variável
Pode alterá-lo. Espero que esse efeito

Mensal passe. É rápido, coisa de dias,
Enfrento bravamente todas as histerias,
Logo acaba e terei de volta o meu bem.

Amaremos, Ela me fará um homem feliz,
Eu a realizarei e correrá a força motriz
Do casal em paz até vir o mês que vem.

Francisco Libânio,
23/02/13, 5:38 PM
Postar um comentário