sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

739 - Soneto grito

O carnaval o alegraria

O que Munch e a véspera de Carnaval
Tem em comum? Penso ser o tal grito,
Mas o pintor deu lá o tom todo maldito
E apreensivo ilustrando um grande mal

No Carnaval, o grito anda pelo informal,
Liberando aquele som preso e inaudito
Numa forma mais contagiante de agito
A liberar de nós tudo que é baixo-astral,

Volto ao quadro, o homem atormentado,
Sinto pena dele, desse peito angustiado
Tão aflito e carente de qualquer alegria

E troco aquele fundo pelo carnavalesco,
Num cenário alegre, leve e mais fresco
Que puxador aquele gritante não daria?

Francisco Libânio,
08/02/13, 10:00 AM
Postar um comentário