quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

735 - Soneto que odeia

Será que o povo do fundão ouviu direito?

Amar uns aos outros, eis o que manda
Jesus no famoso Sermão da Montanha.
Ordem de uma grandeza tão tamanha
Que como alguém pode nutrir nefanda

Vontade de ver mal? Se a Ira comanda,
A pessoa mesma se chafurda na sanha
Do mal. Não evolui nem nada se ganha,
A vida dela própria muito mais desanda

Que outra coisa. Mas ela, de feliz, odeia,
Crê que seu ódio atinge a pessoa alheia
Aponta e nunca vê três dedos contra ela.

De boa? Não sou católico, sequer cristão,
Mas essa passagem, tomo-a por solução
E lamento por quem no oposto se refastela.

Francisco Libânio,
06/02/13, 12:14 PM
Postar um comentário