sábado, 23 de fevereiro de 2013

765 - Soneto que ama uma mulher simples

Ela curtia ver o mar e as belezas da natureza. Só.

Ela não é uma moça estudada ou intelectual,
Ler não é um hábito que está em seu dia-a-dia,
Discussões profundas e densas lhe dão azia
E ela foge de ficar assistindo notícia em jornal.

Ela diz que eles só passam o que há de mal,
Ela não é mulher de explanar tese e filosofia,
Prefere a simplicidade, a conversa mais vazia
Sem polêmicas. Somente o básico e o trivial.

Eu, que já gosto do calor de uma discussão,
Olho-a e pergunto: De onde vem essa atração
Que me faz querer ficar abraçado junto a ela?

Não sei. Foi ela quem viu primeiro o abismo
Entre nós. Fora essa pergunta, eu nem cismo.
Beijo-a quero nesse beijo todo o carinho dela.

Francisco Libânio,
23/02/13, 10:30 AM
Postar um comentário