quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

751 - Soneto da quarta-feira de cinzas

Rapá, precisava ver a loira que eu peguei..

Dia triste, carnaval já era e recomeça
A vida e os amores dos quatro dias
Ficaram para trás. Agora só as vazias
Histórias de quem diz comer à beça.

Não se se ouvir esse papo interessa,
Não comi ninguém em todas as folias,
Não beijei e nem despertei simpatias,
Não que seja algo que me desmereça.

A maior diferença entre eu e a maioria
É que eu relatei em verso, dia após dia,
Cada toco, cada fechada que tomava;

Já eles, os fodões, os tigres comedores
Contam mentira pra esconder as dores
Dos tocos e enrustir uma carência brava.

Francisco Libânio,
13/03/13, 6:12 PM
Postar um comentário