sábado, 16 de fevereiro de 2013

755 - Soneto menosprezado

Cuida bem dele, viu? É um pedido que te faço.

Que este soneto, por si só anônimo
E nem dos melhores que já escrevi,
Vá além do que se está escrito aqui
Sendo do próprio ocaso o antônimo

E que ele seja lido sem pseudônimo
Ou agregado a outros, não o croqui
Poético e mal acabado. Não desisti
Dele, não o quero o mero parônimo

De qualquer outro soneto menos feliz,
Como menos feliz também não quis
O outro soneto. A todos quero leitura,

Mas este, mesmo sem ter desistido,
Não me agradou. Já o faço preterido.
A ti, meu leitor, caberá lhe dar doçura.

Francisco Libânio,
16/02/13, 7:37 PM
Postar um comentário