sábado, 25 de janeiro de 2014

1449 - Soneto com horas de atraso

Preciso chegar logo.

Chego depois do combinado,
Uma pena, rolou alguma treta.
Conto e explico e nada afeta.
O negócio já está estragado.

Ela e passa, em tom pesado,
Uma descompostura da reta,
Sem meias palavras, me veta,
Não poderei chegar atrasado,

Cometer faltas e ir miudinho.
Olhei tudo, mudei o caminho.
Não fiz para ter bronca tanta!

Se por um atrasinho acidental
Deu isso, mudo hora e local
Com a mulher que me adianta.

Francisco Libânio,
24/01/14, 12:10 PM
Postar um comentário