quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

1402 - Soneto do dia dois

Ruim é  a sujeirada de ontem...

Passou o trinta e um derradeiro,
O dia primeiro, um bobo feriado,
E vem o dia dois, esse prezado
A anunciar o resto do ano inteiro.

Festa, ceia, rojão, foi até o cheiro,
Azia, preguiça, cozido, é de lado.
O dia dois já vem de lá mandado
Chegando e sem ser tão festeiro,

Pelo menos até chegar o carnaval,
Mas também sem ser o poço mal
Que imaginam esses pessimistas,

De qualquer forma é só outro dia,
Mas que merece herdar a alegria
E pôr as promessas já nas pistas.

Francisco Libânio,
02/01/13, 5:17 PM
Postar um comentário