sábado, 4 de janeiro de 2014

1406 - Soneto das mesas

Mil e uma utilidades, meu irmão.

Essa mesa à qual me sento
Na cozinha para o almoço,
O jantar ou onde me coço,
À da sala, em dado momento

É um simpático elemento
A da mobília sem alvoroço,
E tão utilitário é esse troço
Que ela ampara o alimento

Na cozinha e na sala enfeita
O espaço em mais perfeita
Comunhão e pode, ela, ainda

Ser a rota para algum desejo
Que não espera, no lampejo,
E na mesa mesmo se deslinda.

Francisco Libânio,
04/01/13, 11:19 AM
Postar um comentário