segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

1410 - Soneto dos dias sem soneto

De boas aqui... Depois escrevo.

E se passo um dia sem escrever,
Alguém no íntimo pergunta assim:
Acabou inspiração? Está no fim
Seu lado poeta? Nada para se ler,

Inspirar? Tá te faltando a mulher?
Ainda bem, pois seu estilo é ruim!
Oras, se o poema não vier a mim,
Não irei até ele voltando a bater,

A punir. Ele merece um descanso
E eu também. Um dia de balanço
Não é rompimento, é só a pausa

Para que o poeta bem se revigore
E que, do nada, um poema arvore
Sem ter pressão ou alguma causa.

Francisco Libânio,
06/01/13, 12:54 PM
Postar um comentário