segunda-feira, 26 de agosto de 2013

1210 - soneto sob influência de Milton

Milton Nascimento e seus tempos de boné.

Disse certa vez Elis Regina
Que se Deus tiver uma voz
É a de Milton. O dom feroz
A Deus facinho se aglutina.

Mas que tem a coisa divina
Na voz do cara, nota veloz.
Ao ouvi-lo claro e sem nós...
Não há virtude que defina.

E o ouço, a voz tão doce
Faz que o soneto alvoroce
E flua. E no fim, tem razão

A Elis. Deus canta por ele.
Que ele em Milton chancele
O capricho de sua criação.

Francisco Libânio,
26/08/13, 12:32 PM
Postar um comentário