sexta-feira, 2 de agosto de 2013

1159 - Soneto descobridor

Uma delícia.

A mulher de quem bem-quis
Os pés, como Mattoso fosse,
Praticamente se fez de posse
Minha. Amou isso, pediu bis,

Gozou loucamente e tão feliz
Estava que foi amável e doce.
Os pés, que eu lamba e roce
Com a boca ao que ela bendiz

O gesto. Eu nunca vi os pés
Como ponto de beijo, rapapés
E sacanagem e revi conceitos.

Já agora espero que a parceira
Curta neles sensual brincadeira
Como eu curto uma nos peitos.

Francisco Libânio,
02/08/13, 7:11 PM
Postar um comentário