terça-feira, 6 de agosto de 2013

1167 - Soneto abstraído de si mesmo

Como fazer um soneto inocente aqui?

Este soneto, concentrado no soneto,
Deixou-se escapar e voou aos ares,
Voou por cinco continentes e lugares
Desconhecidos. Um tour completo.

Talvez assim voando, volte repleto
De ideias, de escritas mais lineares,
De coisas legais e sem ser vulgares,
Aí confiro onde me meti ou me meto.

Cabarés no Moulin Rouge e puteiros
Ingleses, dos chiques aos pulgueiros
De mulheres de todas as qualidades.

Aí, meu soneto, quando a ele volto,
Fica assim maliciado e muito solto,
Mas não vejo nele grandes maldades.

Francisco Libânio,
06/08/13, 7:56 PM
Postar um comentário