terça-feira, 13 de agosto de 2013

1184 - Soneto do amor sem sexo

Só estar junto basta.

Estranho e interessante aquele casal.
Namoram e vivem com cumplicidade
E tem um romance que muito invade
Querendo até que nós façamos igual.

Aí fulano pensa que deve rolar legal
E toda noite a mais íntima atividade.
O cara inveja o quanto a intimidade
Deve ter de couro, pica e coisa e tal.

Os dois, claro, deixam a coisa no ar.
Que a imaginação deles tome lugar
E imagine o que eles dão no quarto.

No caso deles, e que não se espalhe,
O sexo é mero e tão módico detalhe
Que um beijo bem dado já põe farto.

Francisco Libânio,
13/08/13, 5:00 PM
Postar um comentário