segunda-feira, 12 de agosto de 2013

1179 - Soneto intimista de ontem

Às vezes vendo, rola um soneto.

É noite, Pânico na Band
Na TV e enquanto passa
O programa e sua graça
Míngua, a ideia expande

E até vir outra que mande,
O poeta cuida da arruaça
Que está o quarto e traça
Alguma coisa a ser grande,

Revolucionária, inovadora!
O programa acaba. Agora
Segue o poeta nessa trama.

Que o dia seguinte continue
A marcha e que nada recue
Tal processo. Nem a cama.

Francisco Libânio,
12/08/13, 11:20 AM
Postar um comentário