quarta-feira, 14 de agosto de 2013

1187 - Soneto humanista safado

Só um corpo, mas... É gostoso.

O corpo como um banquete posto,
Uma casa santa e dada ao prazer
Pode não ser a visão certa de ter,
Mas alivia no homem um suposto

Desinteresse ou o duvidoso gosto.
Não vai secar? Não gosta de foder?
Tem é que desejar e não só querer!
O corpo, se vestido ou se exposto,

Precisa atiçar libido, erguer um pau,
Mas se não atiça ou ergue, qual mal?
O corpo é um corpo, é sacrossanto,

É máquina perfeita, exato engenho,
Mas admito, nem eu me abstenho
Se um me agrada. Desejo-o tanto!

Francisco Libânio,
14/08/13, 6:22 PM
Postar um comentário