quarta-feira, 31 de julho de 2013

1154 - Soneto tossido

Deixa estar que seu dia chega.

Não dá. Bastar estar no cofe-cofe,
Tossindo até que o ar não venha
Para que um com isso se entretenha,
Veja o outro e deste bem galhofe.

Pois que ria. Solte o melhor bofe,
Deixe o bom humor fazer resenha
Da situação. Não, não se atenha!
A sua piada me alimenta a estrofe

E dá de comer a este soneto bobo,
Afinal uma vez que o homem é lobo
Do homem, mede uns paquidermes

A maldade ainda que bem humorada,
Mas digo e escrevo: Darei mais risada
Quando forem pra você meus germes.

Francisco Libânio,
31/07/13, 12:31 PM
Postar um comentário