segunda-feira, 15 de julho de 2013

1129 - Soneto masculinão

Lindo bíceps, amor. Mas já lavou a louça?

Nada como ser homem, o dominante,
O macho alfa que manda na manada,
Comedor de xana, peluda ou rapada,
Não importa. Ser homem é o bastante

Para ser respeitado e seguir adiante
Sem ter essa liderança questionada
E se tiver, bem, vamos pra porrada
Que o mais forte sairá nela triunfante.

Ser homem é ser o cara, é ser foda,
É botar o fraco e o mulherio na roda
E ser sempre exemplo de líder feroz.

Ser homem é ser que já se foi um dia
Quando a modernidade de nada valia
Como era no tempo de nossos avós.

Francisco Libânio,
15/07/13, 6:58 PM
Postar um comentário