segunda-feira, 15 de julho de 2013

1127 - Soneto visto de cima

Visão do paraíso

Entre ela e eu havia os seios
Que impediam a melhor visão
Do acontecido perto do chão
Em meus gostosos recreios.

Eles estavam ali mais alheios
A tudo, mas pediam atenção.
A boca embaixo e a atração
Do olhar aos belos recheios

Do farto sutiã, mas ela me via
E dava ordens. Era o seu dia
De mandar. Estava acordado

E eu não romperia o contrato.
Primeiro a boca depois o ato
E eis um casal bem extasiado.

Francisco Libânio,
15/07/13, 12:05 PM
Postar um comentário