terça-feira, 9 de julho de 2013

1113 - soneto sexo-reflexivo

E se bobear, leva outro!

Depois do beijo na nuca, a esperada
Reclamação. Você jogou sujo comigo!
Ela tinha razão. Ali eu era mero amigo
E eu nunca a quis como uma namorada.

Mas o beijo tão fácil com a nuca dada...
Não dá-lo me seria um terrível castigo.
Ela que chie e reclame que eu não ligo
Porque se pintar essa sopa, é barbada!

Dou outro beijo. É só sexo. Sem afeto!
Ela diz. Descompromisso acho correto.
Eu sabia das regras como sabia o erro.

Mas entre o descompromisso e o risco
De uma bronca, um beijo bom e arisco
Arremata bem essa amiga após o ferro.

Francisco Libânio,
09/07/13, 8:27 AM
Postar um comentário