terça-feira, 9 de julho de 2013

1114 - Soneto de fim de amizade

Chato, mas às vezes acontece.

Todo mundo falando de fim de amor
Como se com isso o fim do mundo
Batesse nesse coração vagabundo
E o sujeito fosse o maior sofredor.

Claro que o fim traz uma terrível dor,
Mas outro fim dói muito mais fundo
E, parecendo substituível, é rotundo
Até que não venha um outro melhor.

É quando se fina a amizade sincera,
Amizade inquebrantável que não era
De amigos, mas uma coisa fraterna.

A amizade acaba sem menos e mais,
Pro tal seu amigo não é nada demais,
Mas aqui algo da vida se desgoverna.

Francisco Libânio,
09/07/13, 5:30 PM
Postar um comentário