quarta-feira, 26 de junho de 2013

Meu nome em tua boca, eu o queria

Uma espera dolorida. Um resultado mortal.

Meu nome em sua boca. Eu o queria
Tanto que fosse carinhosamente dito,
Com sentimento absoluto e irrestrito
E com o olhar luzindo aquela alegria

Que eu tenho ao dizer o seu, mania
De pensar que, como eu no escrito,
Você corresponde, mas é puro mito,
Uma distante e irrealizável fantasia.

Meu nome na sua boca, aí a minha
Nela também que amável se alinha
Num beijo demorado, pouco arredio.

Mas se o ouço, preferia não ouvi-lo.
Quando vem ou é com duro estrilo
Ou dito com um estranhamento frio.

Francisco Libânio,
26/06/13, 7:58 PM
Postar um comentário