domingo, 23 de junho de 2013

1079 - soneto madrugado e metrificado

Sílaba nada, vai no tamanho mesmo.

A métrica não é meu forte ou meta,
Metrifico medindo qual o tamanho
Do verso e se houver demais ganho
Na linha imponho a ele uma dieta

Rigorosa, mas não para ser atleta
Escandido, perfeito. Só o barganho
Tamanho bom senão o arreganho
E deixo-o díspar, estranho, perneta

Com um verso maior e outro menor.
Não escando o metro com primor,
Mas dou ao verso pouca diferença

E na leitura métrica e linha lá estão
Emparelhados com a compreensão
Sem dar ao soneto uma desavença.

Francisco Libânio,
23/06/13, 3:17 AM
Postar um comentário