sexta-feira, 21 de junho de 2013

1075 - Soneto de olho aberto

Pra falar bobeira e fazer bobagem? Pode voltar a dormir que teu mal é sono.

O gigante acordou? Tem certeza?
Se ele dormia, dormiu no ponto
E agora acordou bastante tonto
E cai da cama, tromba na mesa,

Pisa no penico e diz ter firmeza
No passo, que vai ao confronto,
Mas tudo bem, dou o desconto
Dele falar sem nenhuma clareza.

Se o gigante acordou, a ressaca
Manda bem na mente que é fraca
E qualquer bobagem já o alerta.

Prefiro ser formiga em meu bando
Sem parar, sempre movimentando
E de consciência sempre desperta.

Francisco Libânio,
21/06/13, 12:17 PM
Postar um comentário