terça-feira, 4 de junho de 2013

1040 - Soneto anjoadinho

Caiu no soneto.

Peguei as palavrinhas pelo chão
E uma ideia que passava à hora.
Ela, que se cria minha redentora,
Tomou a gravidade da situação

E a impressionou tanta poluição
Das palavras que as jogou fora.
Sujeira aqui não! Disse ditadora
A ideia passando à purificação

Do soneto procurando um arranjo
Chamando lá um charmoso anjo
Para ser nada além de uma rima.

Eis o soneto de palavras limpas,
Assunto vago e coisas supimpas
Com anjo a garantir a obra prima.

Francisco Libânio,
04/06/13, 11:58 AM
Postar um comentário