quinta-feira, 6 de junho de 2013

1044 - Soneto acidulado

Passa uma dessas na mente e aí o soneto sofre.

Quantos sonetos igual a este comecei
Querendo fazer apenas outro soneto,
Sem maldade, nada demais, discreto
E indo bem num quarteto que terminei

Veio outro, e pensava: Que escreverei?
A dúvida colocava em risco completo
Meu novo escrito. O meio do quarteto
Ficava vazio e o soneto ficava sem lei

Nem rei. Qual solução melhor ali cabia?
Espaço vazio é mansão pra toda putaria
E o que estava educadinho vira a peste,

O poeta fermenta o soneto de desejos
E onde havia pureza há rudes gracejos
E eles ficam exatamente como está este.

Francisco Libânio,
06/06/13, 12:37 PM
Postar um comentário