domingo, 16 de junho de 2013

1065 - Soneto abrasado

Só no soneto mesmo.

Dia de chuva, domingo à toa,
A gente sozinho, sem um par...
Situação que põe a imaginar
E que a inspiração vem e soa.

Já pensou uma mulher boa?
Os dois, um climinha de bar,
Intimidade e, talvez se rolar,
O beijo que em nada arrazoa

Os excessos e a mão boba.
A boca e daí vem o oba-oba
Para tirar o domingo do tédio.

Nada! Aqui não rola nada disso.
Tá empolgado, pega o feitiço
E faz no soneto o seu remédio.

Francisco Libânio,
16/05/13, 6:31 PM
Postar um comentário