quarta-feira, 12 de junho de 2013

1056 - Soneto polinamorado

Nessa reportagem, li que há casais que topam o que se chama de "relação aberta". Não sou de meter o bedelho na intimidade de ninguém e muito menos julgar. Se o Catra e as esposas dele vivem bem assim, que sejam felizes.

Uma na segunda e uma na quarta;
Outra na sexta e no fim de semana,
Ele goza só a paz. Uma se diz Ana,
Outra se chama Maria, outra é Marta.

A fidelidade ali é completa e é farta.
Todas sabem e nenhuma se engana.
O dia é o dia e da outra não se afana
O namorado das três. Que o reparta

O trio. Século vinte e um deixa aberta
A relação, Só que a paixão ali é certa
E o amor há mesmo heterodoxamente.

Sociedade mete o pau e os condena
Enquanto eles, numa felicidade plena,
Andam pra Sociedade, que só mente.

Francisco Libânio,
12/06/13, 12:38 PM
Postar um comentário