segunda-feira, 25 de junho de 2012

0262 - Soneto do enterro da piada


A Justiça é legítima e procurá-la
Cabe a quem estiver incomodado,
Mas vejo o Judiciário já lotado
De casos sérios para uma gala,

Um orgulho de um senhor mala
Que outrora posava de humorado
E agora que vê a graça ao lado
Vai a Justiça querendo calá-la

Então, a graça, a contragosto,
Já que admira com muito gosto,
Tal senhor, presta homenagem

Derradeira simulando o enterro
Da piada. Aproveita e frisa o erro
Do senhor que sujou sua imagem.

Francisco Libânio,
25/06/12, 12:37 PM

Postar um comentário