sábado, 23 de junho de 2012

0245 - Soneto Autoritário


Fico surpreso com as posições
Dos que falam da Justiça china
Que prende hoje e nem examina
Provas e julga e dá condenações

Amanhã sem ouvir contestações,
Célere, de plano, ela já elimina
O preso. Chamam-na assassina,
Injusta e indústria de execuções

E o processo em tempo razoável?
Ampla defesa o que for aceitável
Pelo povo que a democracia apura?

Estranho, mas aqui no Paraguai
Numa semana se julga e se sai
Um presidente e não é ditadura.

Francisco Libânio,
23/06/12, 8:25 PM
Postar um comentário