segunda-feira, 18 de junho de 2012

0001 - Soneto de um despeitado


Deu que num pub na Inglaterra,
A mãe que amamentava seu neném
Foi convidada a sair sem saber bem
No que uma mulher ao amamentar erra

Quer algo mais natural que o que encerra
Numa mãe dar o peito ao filho que vem
E suga o leite materno. Que mal tem?
É a coisa mais normal que há na Terra!

Isso é notícia estúpida como bem é
Quem expulsou a mãe, mais que isso até,
É um sujeito que precisa rever conceitos

Ou arrumar uma namorada cuja valia
Do decote desperte e sacie a fantasia
E deixar em paz os maternos peitos.

Francisco Libânio,
29/04/11, 7:43 PM,
São Paulo

Esse foi o primeiro soneto da série Mattosianas que venho postando há um bom tempo aqui. Ler o poeta Glauco Mattoso e ver a notícia num jornal de que uma mulher amamentando num pub foi considerada como imoral e exibicionista foram a soma exata para começar a minha série.
Postar um comentário