quinta-feira, 7 de junho de 2012

0188 - Soneto para a Gabriela de Tom Jobim


Morena, cor do pecado, cravo e canela,
Pretinha, delícia, monte de lugar-comum,
Comparar a pele e as penas do mutum,
Noite de lua branca, negror a envolvê-la...

Fato é: a morenice trigueira de Gabriela
Ou ficou batida ou não traz novo algum.
Por isso o grande Tom Jobim do jejum
De ideias decretou o fim com uma bela

Letra fazendo jus ao baiano Jorge Amado
E à personagem de sem igual rebolado
Tirando Gabriela da figura de Sônia Braga,

Indo além da batida música da Gal Costa
E ainda assim, a imagem já bem posta
Da morena sensual, o maestro não apaga.

Francisco Libânio,
07/06/12, 11:51 PM
Postar um comentário