segunda-feira, 19 de maio de 2014

1676 - Soneto do artista rasteiro

Foi muito infeliz. Falou só o que se fala sem saber.

Que se tenha lá qualquer opinião
Ao encontro da minha, divergente,
Em pontos aqui ou acolá tangente
É louvável e merece a apreciação

De todos. Só que ser a repetição
Do que se é dito inadvertidamente,
Sem reflexão, sem ser consciente,
Sem conhecer o tema em questão

Não é opinião, é só papagaiagem.
E se vem de artista cuja imagem
Sempre transmitiu rebeldia é pior.

Melhor que pense antes de “opinar”,
Que se restrinja ao palco, seu lugar,
Onde ele domina, onde ele é senhor.

Francisco Libânio,
12/05/14, 9:32 AM
Postar um comentário