segunda-feira, 19 de maio de 2014

1675 - Soneto para a comida de mãe.

Não é a que a dona Bel faz, é claro. Muito mais bonita e muito mais gostosa.

Almoço de domingo... Que boa lembrança.
Família à mesa com a avó lá cozinhando,
No caso da minha família, para um bando
Para depois rolar aquela puta comilança.

Depois minha avó morreu e essa dança
Do almoço de domingo, tanto nefando,
Foi à minha mãe que, se aperfeiçoando,
Agrada uma família cuja comida e pança

Têm participação elementar nessa história.
Hoje em casa é coisa quase obrigatória
O macarrão, antes da minha avó a delícia

E hoje da minha mãe a marca registrada.
Logo, fica em todo prato, a cada garfada
Um gesto impagável, a forma de carícia.

Francisco Libânio,
11/05/14, 6:30 PM
Postar um comentário