quarta-feira, 14 de maio de 2014

1666 - Soneto em festa no feriado

Parabéns, seu explorado!

Dia de feriado quando o trabalho
É homenageado e o trabalhador,
Mola mestra de tudo que é maior,
Termina sendo desculpa, atalho

Para tributo a vir de um bandalho
Que quer mais fama de agregador
Que outra coisa, gozando do suor
Alheio. Que vão à casa do caralho!

O operário, oprimido e dilapidado,
Goza seu dia, faz jus a seu feriado
E ainda tem que ouvir quão nobre

É seu papel. Disso ele sabe bem.
E sabe inalienável o direito que tem
De não ser explorado ou ser pobre.

Francisco Libânio,
01/05/14, 2:57 PM
Postar um comentário