quarta-feira, 14 de maio de 2014

1665 - Soneto para as inimigas

Fica na sua, Valesca.

Com toda a popularidade do funk,
Que, diga-se, tem o merecimento
Ficam alguns jargões de momento
E, depois, para que se desbanque

Com coisa melhor nesse palanque
É quase impossível. Um tormento,
A exemplificar, uso o chamamento
Inimigas. Ridículo. Que se manque

Quem vê inimigas aqui, ali e acolá
E canta com todo desprezo que há
Com um beijinho no ombro e ginga.

Caia na real. Pode-se ter desafeta,
Tudo bem. Já inimiga, não se meta.
Não se é Batman para ter Coringa.

Francisco Libânio,
01/05/14, 9:19 AM
Postar um comentário