segunda-feira, 12 de maio de 2014

1661 - Soneto embananado

Uma outra que essa turma de idiota merece.

Daniel Alves foi sábio no tal fato
Da banana. Pegou a fruta, comeu,
Depois mirou a área, pra lá bateu
O escanteio pondo horrendo ato

Em segundo plano. Já no extrato
Exterior ao campo, a coisa rendeu.
A banana, como nunca, apareceu
Simbolizando contra tal desacato

Fruta boa ao homem, ao macaco
E má para quem tem esse buraco
No raciocínio que é o preconceito.

Pouco adiantará, racistas existirão,
Mas como apedrejar é feia solução,
Que a banana represente seu feito.

Francisco Libânio,
29/04/14, 10:37 AM
Postar um comentário